Brasil : 49 milhões de fascistas?

Jair Bolsonaro, 63 anos, grande favorito do debate de 28 de outubro contra o candidato de esquerda Fernando Haddad, Bolsonaro disse durante uma conferência de imprensa que “ele não era de extrema direita“, e viu-se como “um admirador de Donald Trump”.

Tendo chegado muito à frente da primeira volta no último domingo, ganha em 16 dos 24 estados (e no distrito federal de Brasília), captura mais de 49 milhões de votos e transforma a sua facção em força parlamentar decisiva. Na diáspora brasileira, triunfa com quase 59% dos votos (contra só 10,4% do principal rival).

A decisão brasileira está provisoriamente tomada. Muito pode mudar em três semanas de campanha, e haverá novas alianças, novas rendições, novos compromissos. Mas os candidatos são estes, e convém conhecer as lições da história eleitoral. Por outro lado, de nada serve insultar a inteligência, o sentido de justiça e a integridade de votantes de todas as raças, credos e condições

Dizer que Bolsonaro é “fascista” é um elogio da cegueira. É não compreender nada de Bolsonaro nem do fascismo. No Brasil, este nunca pegou. Mesmo os integralistas de Plínio Salgado eram sobretudo nativistas, defensores do índio tupi como “essência da pátria”, e os primeiros arautos da miscigenação.

Dizer que Bolsonaro é “fascista”, pejorativamente, é apenas insultar a inteligência de quase 50 milhões de brasileiros que souberam decidir num sistema complexo, e colocar, ao mesmo tempo, 21 partidos no parlamento.

Dizer que Bolsonaro é “fascista” é não compreender o novo “conservadorismo” das favelas e das universidades, o apoio paradoxal de evangélicos, católicos e maçons, a necessidade de encontrar um emblema para a luta contra a corrupção, o subdesenvolvimento, a opressão dos bandos, o regime local dos caciques e dos subvencionados, o desemprego galopante e a recessão.

Dizer que Bolsonaro é “fascista” equivale a puxar da pistola quando se ouve falar de cultura. Só serve para rótulo em rixa de taberna. Não explica nada, não compreende coisa alguma… Ler mais em Sábado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.