Tag Archives: Banco de Portugal

Banco de Portugal não divulga relatórios de prevenção de branqueamento de capitais dos bancos

O Banco de Portugal (BdP) entende estar “legalmente impedido” de enviar ao parlamento os relatórios de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo dos oito maiores bancos, relativos aos anos de 2013 a 2015, pedidos pelo PCP.

Lesados do BES avançam com duas ações populares contra Banco de Portugal

Centenas de lesados interpuseram duas ações populares junto do Tribunal Administrativo de Lisboa a pedir a nulidade da deliberação de dezembro de 2015 do Banco de Portugal, que retificou a medida de resolução aplicada ao BES, em 2014.

Maiores bancos do mundo reúnem-se para atacar Banco de Portugal

A Associação Internacional de Swaps e Derivados (ISDA), com sede em Londres, confirmou que os maiores bancos do mundo reúnem-se em Londres, para avaliar o problema criado pelo Banco de Portugal, inserido nas obrigações do Novo Banco.

Investigações ao BES devem estar concluídas até ao início de 2016

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, afirmou hoje que as fases de investigação das averiguações em curso no decorrer da auditoria forense ao BES devem estar concluídas no máximo até ao início de 2016.

Lesados do BES gritam gatuno à porta da casa de Carlos Costa

Clientes do Banco Espírito Santo (BES) que investiram em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES) estão concentrados à porta da casa do governador do Banco de Portugal (BdP), em Lisboa, a exigir o pagamento do dinheiro investido.

Os maiores investidores do BES desfizeram-se das ações antes da suspensão em bolsa

Os investidores institucionais venderam grandes lotes de ações do BES nas vésperas do anúncio da intervenção do Banco de Portugal no banco, segundo os números oficiais passados aos deputados pela CMVM, que sustentam as suspeitas de abuso de informação privilegiada.

A perda da confiança dos mercados pode levar Portugal a segundo resgate

O governador do Banco de Portugal defendeu que, mais do que uma saída limpa, Portugal tem de ter “uma saída credível” e que ela se constrói “em relação ao futuro e não ao passado”.