• Qui. Out 28th, 2021

Cool Jazz Music

Cool Jazz é um estilo da moderna música jazz que surgiu após a Segunda Guerra Mundial. É caracterizada por seus tempos descontraído e tom mais claro, em contraste com o estilo bebop. Cool Jazz, muitas vezes emprega disposições formais e incorpora elementos de música clássica. Para ouvir recomendamos : Mozilla Firefox

Radios Online

Ouvir en Popup

Cool Jazz

Cool Jazz” é um estilo de jazz surgido no final da década de 1940 em Nova Iorque, e um de seus maiores representantes foi o músico Miles Davis. O estilo caracteriza-se por ser, na maioria das vezes, uma música mais suave e mais melancólica. Por tradição, o Cool Jazz é mais leve e mais romântico…

radio ambient music

radio loung chillout

radio baroque classical

Jazz music

Advertisement – Anuncios

Criação de Sites

Origem do Cool Jazz

Cool Jazz” é um estilo de jazz surgido no final da década de 1940 em Nova Iorque, e um de seus maiores representantes foi o músico Miles Davis. O estilo caracteriza-se por ser, na maioria das vezes, uma música mais suave e mais melancólica.

Por tradição, o Cool Jazz é mais leve e mais romântico, considera-se que o “Cool jazz” nasceu em 1949, sob a orientação dos músicos agrupados por Miles Davis para desenvolver a música cool jazz (Gerry Mulligan, Gil Evans, John Carisi, John Lewis…

Títulos gravados em disco 78 rotações nos estilo Cool Jazz (posteriormente agrupados no álbum (“Birth of the cool”), as gravações de Gerry Mulligan com seu quarteto ou tentáculo, alguns registros em bandas pequenas de Shorty Rogers (« Modern sounds » para o Capitol) são representativos dessa estética.

O “cool jazz” é frequentemente associado ao movimento “West Coast Jazz”, tocado nos anos 50 pelos músicos majoritariamente brancos que tocavam na Califórnia e trabalhavam nos estúdios de cinema.



  • Jordan Klassen – Tell Me What To Do

    Este álbum é magnifico do começo ao fim; melodias meticulosamente elaboradas combinadas com uma composição incrível. Jordan Klassen deveria ser mais conhecido, porque ele é brilhante. “Quando se trata de formar uma identidade pessoal, supõe-se que uma extensão infinita de possibilidades seja uma força capacitadora. Esta geração – em comparação com as […]

  • Finlay Shakespeare – Solemnities : reviver o Synth-Pop

    Finlay Shakespeare orgulha-se em “Solemnities” de reviver o Synth-Pop, Electonic Alternative, e de continuar os passos dos Depeche Mode, Talk Talk, Gary Numan e muitos outros… Finlay Shakespeare é um fenómeno, é simplesmente excepcional. Com isso, seu segundo álbum para Edições, confirma isso. Como uma banda de um homem, muitas vezes parece desconcertante, o […]

  • Houses of Heaven – Silent Places : o mundo do Post-punk e do industrial

    Houses of Heaven. O mundo do Post-punk e do industrial. Sintetizadores de camadas, guitarras, percussão eletrônica e bateria ao vivo, o Houses of Heaven combina os primeiros ritmos industriais e tecnológicos com o melodismo do shoegaze e uma grande dose de efeitos influenciados pelo dub. Formada em Oakland, Califórnia, por Keven Tecon, Adam Beck e Source

  • Cinema: quatro filmes portugueses no Festival Internacional de Ghent

    Quatro filmes portugueses, entre os quais ‘Diários de Otsoga’ e ‘Amor de Perdição’, integram em outubro o Festival Internacional de Cinema de Ghent, o maior no panorama dos festivais na Bélgica. A programação da 48.ª edição contém, na seleção oficial de longas-metragens, o filme ‘Diários de Otsoga’, que Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes rodaram no […]

  • Novo álbum é o “mais consistente” da carreira, diz Salvador Sobral

    Salvador Sobral apontou o seu novo álbum, “BPM“, a sair sexta-feira, como “o mais consistente” da ainda “pequenina carreira”. O álbum é constituído por 13 canções, uma em espanhol e duas em inglês, todas de autoria de Salvador Sobral e música de Leo Aldrey, com exceção de “Fui Ver Meu Amor”, com letra de Luísa Source

  • Música: dezenas de novos álbuns previstos para 2021

    As bandas portuguesas para 2021, de todos os géneros, do rock ao fado, com várias estreias, entre as quais o projeto Luta Livre, Pedro Lucas, MURAIS, Gato Morto e Mike11. Uma ronda pelas editoras discográficas e pelo agenciamento de artistas portugueses, uma lista com dezenas de álbuns com edição prevista ao longo dos próximos 12 Source

Show Buttons
Hide Buttons