• Qui. Jul 29th, 2021

Óscar de melhor filme : Green Book – Um guia para a vida

ByTeam

Fev 28, 2019 , ,
Green-Book

O Óscar de melhor filme foi hoje entregue a “Green Book – Um guia para a vida”, na 91.ª edição dos prémios da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas, dos Estados Unidos.

O filme dirigido por Peter Farrelly, que partira com seis nomeações, acabou por conquistar três Óscares, entre os principais – melhor argumento original, melhor ator secundário, Mahershala Ali, e melhor filme -, deixando para trás as nomeações para melhor montagem, montagem de som e melhor ator, Viggo Mortensen.

“Green Book”, uma comédia dramática que segue a viagem de um pianista negro, com o seu motorista branco, pelo sul segregacionista dos Estados Unidos, em 1962, já conquistara o Prémio do Público do festival de Toronto, fora considerado o melhor filme de 2018 pelo National Board of Review, e conquistara três Globos de Ouro, entre os quais o de melhor filme de comédia, entre outros galardões.

“Bohemian Rhapsody”, com quatro Óscares conquistados – melhor ator, Rami Malek, melhor montagem, montagem de som e mistura de som – conseguiu reunir o maior número de Óscares desta edição, numa competição que, à partida, tinha como favoritos os filmes “Roma”, de Alfonso Cuarón, e “A favorita”, de Yorgos Lanthimos, com as suas dez nomeações, entre as quais as de melhor filme e melhor realização.

“Roma” conseguiu três Óscares, entre as categorias principais: melhor realização, melhor filme estrangeiro e melhor fotografia.

“A favorita” acabou por sair com um Óscar, para o desempenho da atriz britânica Olivia Colman, como protagonista.

“Black Panther”, uma produção da Marvel dirigida por Ryan Coogler, conseguiu igualmente três Óscares, dos seis para os quais estava nomeado: melhor banda sonora, melhor guarda-roupa e melhor direção de arte/cenografia.

A 91.ª edição dos Óscares teve várias estreias nas nomeações e vitórias, incluindo a primeira mulher afro-americana e a primeira mulher europeia a serem nomeadas para duas categorias técnicas, direção de arte e montagem de som.

Hannah Beachler foi a primeira afro-americana a vencer o Óscar para melhor direção de arte (cenografia), com o filme “Black Panther”, em conjunto com Jay Hart.

A vencedora, que fez um discurso muito emotivo ao receber o prémio, disse nas entrevistas de bastidores que caiu de joelhos e chorou, no dia em que viu o primeiro cenário montado.

“Não deixem que ninguém vos diga que não conseguem fazer este trabalho”, afirmou Beachler.

Pelo filme “Bohemian Rhapsody”, Nina Hartsone foi a primeira mulher europeia a ser nomeada nesta categoria e a vencer o Óscar de melhor montagem de som, prémio que partilhou com John Warhurst.

“A indústria cinematográfica é difícil, é preciso trabalhar muito para perseverar”, disse a britânica, no encontro com jornalistas. “É preciso colaborar e tentar aprender o máximo que for possível para subir na carreira”, elaborou.

“BlacKkKlansman – O infiltrado”, de Spike Lee, distinguido pelo melhor argumento adaptado. O realizador fez um apelo ao voto, nas eleições nos Estados Unidos, “fazer o que está certo” (“Do the right thing”/”Não dês bronca”), usando o título do seu filme de 1989, como argumento.

“Homem-Aranha: No Universo Aranha”, melhor filme de animação, “Bao”, melhor curta-metragem de animação, “Vice”, vencedor da melhor caracterização, e “O primeiro homem na Lua”, distinguido pelos efeitos visuais, foram outros dos premiados. “Assim nasce uma estrela” conseguiu o Óscar de melhor canção.

O Óscar de melhor documentário foi para “Free Solo”, de Jimmy Chin e Elizabeth Chai Vasarhelyi, produzido pela National Geographic, que conta os portugueses Joana Niza Braga e Nuno Bento, na equipa de som.

Os criadores de “Free Solo” disseram à Lusa que escolheram os técnicos portugueses para fazerem os efeitos sonoros, devido ao “talento maravilhoso” que descobriram em Portugal.

A Loudness Films, sediada em Lisboa, foi responsável pelo trabalho de “foley”, que cria os sons impossíveis de captar nas filmagens.

“Free Solo” estreia-se a 17 de março no canal National Geographic e acompanha o alpinista norte-americano Alex Honnold numa escalada de 900 metros, sem cordas ou proteções, na parede de granito El Capitan, no Parque de Yosemite (Estados Unidos).

A entrega dos Óscares foi aberta por Regina King, distinguida como melhor atriz secundária pelo desempenho em “Se esta rua falasse”. A 91.ª edição dos Óscares foi realizada no Dolby Theatre, em Hollywood, na noite de domingo (madrugada de segunda-feira, em Portugal), e transmitida em direto para 225 países.

Lista dos vencedores da 91.ª edição dos Óscares :
Melhor filme: “Green Book – Um guia para a vida”
Melhor realização: Alfonso Cuarón – “Roma”
Melhor ator: Rami Malek – “Bohemian Rhapsody”
Melhor ator secundário: Mahershala Ali – “Green Book – um guia para a vida”
Melhor atriz: Olivia Colman – “A favorita”
Melhor atriz secundária: Regina King – “Se esta rua falasse”
Melhor fotografia: “Roma”
Melhor argumento adaptado: “BlacKkKlansman – O infiltrado”
Melhor argumento original: “Green Book – Um guia para a vida”
Melhor filme estrangeiro: “Roma” – Alfonso Cuarón (México)
Melhor filme de animação: “Homem-Aranha: No Universo Aranha” – Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman
Melhor documentário: “Free Solo” – Elizabeth Chai Vasarhelyi, Jimmy Chin, Evan Hayes e Shannon Dill
Melhor documentário em curta-metragem: “Period. End of Sentence.” – Rayka Zehtabchi e Melissa Berton
Melhor curta-metragem: “Skin” – Guy Nattiv e Jaime Ray Newman
Melhor curta-metragem de animação: “Bao” – Domee Shi e Becky Neiman-Cobb
Melhor direção de arte/cenografia: “Black Panther”
Melhor montagem: “Bohemian Rhapsody
Melhor caracterização: “Vice”
Melhor guarda-roupa: “Black Panther”
Melhor banda sonora original: “Black Panther”
Melhor canção: “Shallow” – “Assim nasce uma estrela”
Melhor montagem de som: “Bohemian Rhapsody”
Melhor mistura de som: “Bohemian Rhapsody”
Melhores efeitos visuais: “O primeiro homem na Lua”
(Ag.Lusa)

Facebook Comments
Filme “Selvajaria” de Miguel Gomes é premiado no Festival de Locarno
Miguel-Gomes-Selvajaria

O novo filme do realizador português Miguel Gomes, intitulado "Selvajaria", recebeu o prémio especial do júri no programa "The Films After Tomorrow" do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, Read more

Filme de David Pinheiro Vicente selecionado para competição de “curtas” de Cannes
Festival-Cinema-Cannes

O filme “O Cordeiro de Deus”, do realizador português David Pinheiro Vicente, foi selecionado para a competição de curtas-metragens do Festival de Cinema de Cannes, anunciou a organização. Segundo o Read more

Urso de Ouro para Portugal nas curtas-metragens de Berlim
diogo costa amarante

Diogo Costa Amarante vence em Berlim com um filme estreado no Curtas Vila do Conde. Dos quatro filmes portugueses a competir para o Urso de melhor filme na Berlinale Short, Read more

Fantasporto 2016 insiste no cinema da América Latina
Fantasporto 2016

O diretor do festival internacional de cinema do Porto Fantasporto Mário Dorminsky disse hoje que a programação da 36.ª edição vai "insistir" na América Latina, região onde se encontram "os Read more

Show Buttons
Hide Buttons