Vinho e Literatura no festival “Tinto no branco” em Viseu

Um festival que combina os prazeres dos vinhos do Dão com os da literatura é a novidade deste ano do evento “Vinhos de inverno”, que se realiza em Viseu, entre 04 e 06 de dezembro.

Intitulado “Tinto no branco”, este será o primeiro festival literário de Viseu.

Durante a apresentação do evento, o presidente da Câmara, Almeida Henriques, lembrou que o inverno de Viseu é muito convidativo a acender a lareira e desfrutar dos vinhos e dos livros.

É isso que, durante os três dias, vai acontecer no Solar do Vinho do Dão, podendo os participantes “usar as pantufas à lareira, mas fora de casa”, referiu.

Segundo o autarca, “o festival literário dá continuidade à aposta de Viseu como cidade vinhateira, mas é também um fator de dinamização cultural e de atratividade turística diferenciadora, no pico do inverno da Beira Alta”.

No festival literário vão participar mais de 20 escritores, com “uma oferta literária para todos os gostos e públicos”, e tendo Aquilino Ribeiro como nome de referência.

Almeida Henriques avançou que no grupo de escritores estão duas referências da cidade de Viseu, nomeadamente António Gil e João Luís Oliva, e também nomes de dimensão nacional e internacional, como Afonso Cruz, Rui Cardoso Martins, Fernando Dacosta, Francisco José Viegas e Joel Cleto.

Algumas das palavras de Aquilino Ribeiro servirão de mote às conversas e encontros de “Tinto no branco”. Por exemplo, na noite de dia 04, haverá uma conversa baseada na frase “o pior dos crimes é produzir vinho mau, engarrafá-lo e servi-lo aos amigos”, que tem como convidado Francisco José Viegas.

“Estou convicto de que, com naturalidade, as pessoas vão aderir a este festival literário”, considerou Almeida Henriques.

Além dos encontros com os escritores, no Solar do Vinho do Dão haverá espaços de prova e compra de vinhos, contactos com produtores e enólogos da região, espaços para provar a gastronomia tradicional e animação musical.

“Poesia no quarto escuro”, uma conversa sobre “Contos, lendas e facécias do vinho”, um “‘Blind date’ literário”, uma visita guiada pela cidade com historiadores e escritores que assumirão o papel de guias e ateliês infantis são outras propostas feitas para os três dias. No total, serão 50 horas de programação, divididas por 30 eventos culturais e vínicos. (A.Lusa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.