• Sex. Set 24th, 2021

Arrendamento de casa: preço médio volta a crescer pelo 2.º mês consecutivo

imobiliario-portugal

Arrendar casa: depois de ter aumentado em abril pela primeira vez desde junho do ano anterior, em maio este valor em Portugal subiu 3,6% face ao mês anterior ao fixar-se nos 1.017 euros.

O preço médio de arrendamento confirma a tendência de subida pelo 2.º mês consecutivo. Depois de em abril deste ano ter aumentado pela primeira vez desde junho de 2020, em maio este valor em Portugal cresceu 3,6% face ao mês anterior ao fixar-se nos 1.017 euros.

Note que estes dados constam no estudo divulgado pelo portal imobiliário Imovirtual, a que o Notícias ao Minuto teve acesso, baseado em dados disponíveis na plataforma, no qual analisa a evolução dos preços médios anunciados de venda e arrendamento em Portugal. Os dados partilhados referem-se ao comparativo de maio com abril deste ano e com o período homólogo (maio) do ano passado.

Ainda por referência ao preço médio de casas para arrendar, Évora é o distrito que teve o maior crescimento, de 17,6%, ao passar de 524 euros em abril para 616 euros em maio deste ano. Em segundo lugar no ranking, surge a Guarda (14,9%) e depois Portalegre (8,5%).

Em sentido inverso, e ainda face a abril de 2021, Beja e Bragança evidenciam-se como os distritos com as maiores quebras neste indicador, a registar descidas iguais a 10% e 6,4%, respetivamente.

Meetic

Já quando comparada a média de preços de arrendamento em maio de 2021 com o mesmo mês do ano passado, sublinha o mesmo comunicado, verifica-se uma queda de 5%.

Face ao período homólogo, Guarda foi o distrito a apresentar a maior subida ao nível deste indicador (25,3%) ao passar de 332 euros em maio de 2020 para 416 euros em maio deste ano. A fechar o top 3, surgem Portalegre (14,7%) e logo em seguida Évora (12,6%).

Por outro lado, ainda neste comparativo, as regiões com maiores quebras foram Beja (24,6% que passou de 558 euros para 421 euros), Bragança (10,5% de 409 euros para 366 euros) e Setúbal (8,6% de 850 euros para 777 euros), revelam os mesmos dados.

Venda de casa

Por referência à venda de casas, o preço médio anunciado em Portugal foi de 367.201 euros em maio de 2021. Registando-se, deste modo, uma elevação de 3,7% face ao mês anterior, no qual se verificou um preço médio de 354.077 euros, e de 5,7% em relação a maio de 2020, cujo valor foi de 347.509 euros.

Revelam ainda dados do Imovirtual, que o distrito que se destaca com o maior aumento em relação a abril deste ano foi Évora (22,1%). A seguir com o segundo lugar temos Vila Real (7,6%) e depois aparece Lisboa (4,9%).

Já quando comparados com maio de 2020, verificou-se em Évora uma subida de 21,8% ao passar de 210.680 euros no ano passado para 256.524 euros em de 2021. Beja (13,4%) e Aveiro (10,9%) fecham o pódio.

Em sentido inverso, as maiores quedas no preço de venda face ao mês anterior, foram vistas em Guarda (2,7%) e Castelo Branco (2,1%). Em Portalegre caiu 10,6% de 131.824 euros para 117.892 euros e em Guarda desceu 9,6% de 123.260 euros para 111.424 euros, sendo estes os distritos com as maiores quedas verificadas no espaço de um ano.

Facebook Comments
Preço das casas sobe 4,3% na zona euro no 3.º trimestre e em Portugal quase o dobro
imobiliario-portugal

Face ao segundo trimestre de 2018, o preço das habitações subiu, entre julho e setembro, 1,6% na zona euro e 1,5% na UE. De acordo com o gabinete de estatísticas Read more

União Europeia valida os primeiros planos nacionais de recuperação em Lisboa e Madrid
Ursula-von-der-Leyen-

Bazuca: os primeiros planos de estímulo (fundos europeus) para os países do sul. A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, está em Lisboa e depois em Madrid para Read more

Governo socialista indica novamente uma injeção de capital de 429 milhões no Novo Banco
Governo-socialista

O Novo Banco deverá receber mais 429 milhões de euros do Fundo de Resolução, mas a validação final do valor da injeção de capital ainda está a ser feita, disse Read more

Incompetência Novo Banco: “Tentativas que o Novo Banco fez de recuperar a minha dívida foram zero”
novo-banco-21-12-2020

O presidente da Prebuild, João Gama Leão, acusou o Novo Banco de "má-fé" e afirmou que o banco não fez qualquer tentativa de recuperar a dívida da sua empresa, apesar Read more

Show Buttons
Hide Buttons