• Seg. Mar 1st, 2021

Governo admite rever em baixa as previsões económicas para 2021

ministerio-financas-650

Derrapagem na economia portuguesa e no défice de 2021 devido ao novo confinamento.

Ministério das Finanças assume derrapagem nas previsões do défice e do crescimento económico para 2021, devido ao confinamento. Isto apesar do défice de 2020 ser baixo que o esperado, perto de 6,3%.

Economia Portugal: o Ministério das Finanças admite rever em baixa as previsões económicas para este ano, perante uma segunda vaga “mais intensa” do que o previsto, com este novo confinamento.

A segunda vaga da pandemia está a ser “mais intensa do que o esperado”, admite o gabinete do ministro das Finanças, João Leão.

“A segunda vaga da pandemia, mais intensa do que o esperado, e as medidas restritivas de confinamento associadas, com maiores apoios ao rendimento das famílias e às empresas, deverão conduzir a uma revisão em baixa do cenário macroeconómico e do saldo orçamental para 2021”, refere o Ministério das Finanças, em comunicado.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) que entregou no parlamento em outubro, o Governo aponta para um défice orçamental de 4,3% em 2021, estimando ainda que a economia cresça 5,4%, depois de em 2020 ter entrado em terreno negativo.

Ainda assim, os dados da execução orçamental divulgados esta quarta-feiralevam o Governo a acreditar que o défice em contas nacionais de 2020 deverá ficar abaixo dos 7,3%.

“A evolução mais positiva do emprego, com reflexo na receita fiscal e contributiva permite-nos antecipar que o défice orçamental em contas nacionais de 2020 deverá ficar abaixo dos 7,3% previstos no Orçamento do Estado para 2021, devendo ficar mais próximo do valor inicialmente previsto no Orçamento Suplementar de 2020″, acrescenta a tutela.

O Ministério das Finanças reconhece que “apesar do impacto muito acentuado da crise pandémica na economia em 2020, o comportamento do mercado de trabalho foi bastante mais favorável do que o previsto, o que deverá ter um impacto positivo nas contas públicas”.

O défice das Administrações Públicas em contabilidade pública, no ano de 2020, situou-se nos 10.320 milhões de euros, um agravamento de 9.704 milhões de euros face a 2019, explicado pelapandemiadaCovid-19, revelou, esta quarta-feira, o Ministério das Finanças, no comunicado que antecede a execução orçamental daDireção-Geral do Orçamento (DGO).

Facebook Comments
Iniciativa Liberal: “Queremos que os mais afetados pelas restrições tenham cobertura”
iniciativa-liberal-joao_cotrim

O líder e deputado do Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, defendeu, à saída de Belém que os negócios mais afetados pelas medidas de combate à pandemia devem ter "cobertura" Read more

Orçamento do Estado 2021 aprovado no Parlamento com o voto a favor apenas do PS
assembleia-da-republica-lisboa

A Assembleia da República aprovou na quarta-feira, a proposta do Governo de Orçamento de Estado para 2021 apenas com os votos favoráveis da bancada parlamentar do PS. O orçamento foi Read more

90 mil portugueses emigraram em 2017
emigrantes

Cerca de 90 mil portugueses emigraram em 2017, menos 10 mil do que em 2016, com o Reino Unido a manter-se o principal destino, segundo o Relatório de Emigração divulgado. Read more

FMI revê em alta crescimento do PIB português para 2018
FMI

O FMI (Fundo Monetário Internacional) reviu em alta a estimativa de crescimento da economia portuguesa deste ano para 2,4%, mas continua a estimar que o PIB avance 1,8% em 2019, Read more

Show Buttons
Hide Buttons