O lado negro e o poder do lobbying no Parlamento Europeu

As instituições e os governos da União Europeia são prejudicados por lobbies ferozes cujo objetivo é influenciar as propostas de lei.

O Conselho da Europa é cercado por “escritórios de lobby”, a maioria dos quais pertence a “grandes multinacionais” que formam grupos de pressão com o objetivo de ter o máximo impacto nas decisões políticas.

80% das leis que afetam diretamente os cidadãos europeus são desenvolvidas no Parlamento Europeu.

Se a Comissão Europeia considera o lobbying como parte integrante do sistema democrático, essas atividades dos gigantes da economia geram temores de confisco do processo democrático.

Bruxelas abriga 2.500 estruturas de lobby, sendo 15.000 lobistas o segundo maior centro de lobby do mundo.

Compra de deputados para apresentar e defender projetos de lei, nomeação de representantes de interesses industriais como peritos para a Comissão Europeia são comuns, segundo a ONG Transparency International. O relatório também se concentra em ir e voltar entre as esferas pública e privada.

“Uma pessoa que trabalhou num serviço público e que depois é recrutada por uma empresa, pode manter a suspeita de que suas decisões como ator público poderiam ter sido influenciadas pela perspectiva de ingressar na empresa nos meses seguintes”, diz Myriam Savy da Transparência Internacional.

Este documentário disseca perfeitamente a influência dos lobbies nas instituições europeias.


Video: O Negócio Bruxelas (legenda em português, configurar nos parametros do video)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.