• Seg. Jun 21st, 2021

Operação Marquês: os mistérios da carta em branco na PT, cláusula de milhões no TGV e Grupo Lena

operação marques

Lino Torgal e Rui Medeiros (advogados), vão tentar explicar, esta sexta-feira, ao juiz Ivo Rosa dois dos maiores mistérios do processo que o Ministério Público associa a actos de corrupção de José Sócrates.

Seis anos depois do início da Operação Marquês, e já com uma acusação deduzida, há ainda dois mistérios que, até agora, ninguém, nem a investigação, nem as testemunhas ouvidas, conseguiu solucionar :

– o primeiro assunto diz respeito a uma carta em branco que o advogado Sérvulo Correia, como representante do Estado, levou para a assembleia geral da PT de março de 2007 que travou a OPA da PT;

– o segundo assunto diz respeito à introdução de uma cláusula de 190 milhões de euros que o Estado ficou obrigado a pagar ao consórcio TGV, uma vez que o concurso foi cancelado… ler mais no Sábado.

O ex-administrador do Grupo Lena Joaquim da Conceição foi hoje inquirido, como testemunha, mais de sete horas e disse que o grupo de Leiria nunca subornou José Sócrates, o principal arguido da Operação Marquês, segundo fonte ligada ao processo.

Joaquim Paulo da Conceição, que chegou a ser arguido da Operação Marquês, foi chamado a depor na fase de instrução pelo advogado do ex-administrador do grupo Lena Joaquim Barroca e das empresas do grupo arguidas neste processo, que considerou essencial o seu depoimento após o antigo primeiro-ministro ter sido interrogado nessa fase.

Para o advogado Castanheira Neves, o depoimento de Joaquim Paulo era importante “para esclarecer toda a factualidade inerente às sociedades [do grupo Lena]”.

O advogado disse que chamou Joaquim Paulo a depor depois de terem sido “projetados para o processo todos os factos que estavam por esclarecer”.

Joaquim Paulo da Conceição era o representante legal do grupo leiriense, mas acabou por não ser visado no processo.

Já a empresa que liderava e outras subsidiárias (Lena SGPS, Lena Engenharia e Construções SA e Lena Engenharia e Construção SGPS) são acusadas de corrupção ativa, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada.

Entendeu o Ministério Público que “nunca se percebeu, a não ser para melhor assegurar a sua defesa enquanto cidadão e profissional, a razão da constituição como arguido de Joaquim Paulo da Conceição, que na altura dos pretensos factos nem sequer exercia funções na ‘holding’ do Grupo Lena”.

O ex-administrador do grupo Lena Joaquim Barroca, será o último arguido do processo a ser interrogado, a seu pedido, nesta fase, a 18 de fevereiro.

Joaquim Barroca está acusado de corrupção ativa de titular de cargo político, corrupção ativa, branqueamento de capitais, falsificação de documento e fraude fiscal qualificada consta de um despacho do juiz de instrução Ivo Rosa, que reservou também o dia seguinte, caso a diligência se prolongue.

O debate instrutório está marcado para os dias 4, 5, 6 e 9 de março, podendo prolongar-se para 11, 12 e 13 do mesmo mês.

O processo Operação Marquês tem 28 arguidos – 19 pessoas e nove empresas – pela prática de 188 de crimes económico-financeiros. (Ag.Lusa)



Facebook Comments
TGV custou mais de 152 milhões de euros para ficar numa gaveta
TGV

O projeto ferroviário português de alta velocidade cancelado em 2012, um investimento superior a 11,6 mil milhões de euros, não teria “viabilidade financeira”, de acordo com a auditoria do Tribunal Read more

Julgamento de Ricardo Salgado será presidido por juiz Francisco Henriques
Ricardo_Salgado

Operação Marquês: o ex-presidente do BES, Ricardo Salgado, pronunciado na instrução da Operação Marquês por três crimes de abuso de confiança, vai ser julgado por um coletivo de juízes encabeçado Read more

Operação Marquês: “É um sistema doente e Não podemos continuar assim”
carlos_moedas

Foi dado "como comprovado" que José Sócrates "é corrupto", no âmbito do processo da Operação Marquês, disse Carlos Moedas. Carlos Moedas deixou, severas críticas à decisão instrutória do processo da Read more

Petição Pública: Afastamento do Juiz Ivo Rosa de Toda a Magistratura
ivo-rosa

Processo Operação Marquês, foi um insulto ao país. O Juiz Ivo Rosa, que deveria fazer de Juiz de Instrução, fala como se fosse o Advogado de Defesa de José Sócrates. Read more

Show Buttons
Hide Buttons