Turismo do Algarve quer oferta aberta todo o ano para combater sazonalidade

O presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA) defendeu em Lisboa, que os operadores turísticos têm que funcionar durante todo o ano para combater a sazonalidade, referindo que é necessário reforçar a oferta entre outubro e maio.

“Não queremos uma região sustentável seis meses. Queremos uma região sustentável todo o ano”, afirmou Desidério Silva, explicando que está a trabalhar com o Governo para “encontrar uma solução que minimize o impacto da sazonalidade”.

No âmbito da participação do Algarve como destino convidado da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), o responsável disse que a sazonalidade da região funciona como “pescadinha de rabo na boca”, em que os turistas dizem que não vão visitar a região porque os operadores turísticos estão fechados e os operadores dizem que estão fechados porque os turistas não os visitam.

Para Desidério Silva, “é preciso encontrar um equilíbrio” e os operadores da região têm a responsabilidade de “satisfazer o nível de procura” turística. Por isso, apontou, a oferta não pode estar fechada e “os hotéis têm que abrir mais cedo e fechar mais tarde”.

“Há agentes [turísticos] que ainda não perceberam que a época baixa tem que ser também um processo de aguentar algum prejuízo, suportar alguma parte menos boa, para que depois consigam desenvolver ao longo do ano uma perceção muito maior e muito melhor daquilo que é a região”, reforçou.

Segundo o presidente da RTA, o enfoque do problema da sazonalidade é entre outubro e maio, mas “há disponibilidade” para combater esta situação, através de um trabalho conjunto entre o Turismo de Portugal, a Secretaria de Estado do Turismo e a região turística.

“Vamos trabalhar, claramente, na aposta em eventos desportivos, eventos culturais e também procurar recuperar as nossas raízes e as nossas tradições”, explicou, acrescentando que o Algarve vai continuar a disponibilizar “uma oferta transversal e diversificada”.

Questionado sobre o investimento necessário para organizar os eventos na época baixa, Desidério Silva afirmou à Lusa que “ainda não está quantificado, apenas há claramente a vontade e a disponibilidade da Secretaria de Estado do Turismo em perceber que isso é preciso fazer”, o que, indicou, “já é um sinal muito positivo”.

O presidente da RTA voltou a criticar a TAP, afirmando que o serviço prestado pela companhia aérea no aeroporto de Faro “é claramente uma vergonha”.

No âmbito da participação na BTL, a região anunciou como novos projetos o lançamento de duas aplicações para dispositivos móveis e o livro infantil “Algarve, quem és tu?”.

Segundo Desidério Silva, a aplicação “Rota Omíada” vai permitir “explorar o património da dinastia árabe omíada” com um percurso por 14 localidades do Algarve e a aplicação “Eventos” vai informar sobre atividades e iniciativas culturais a decorrer na região.

O livro “Algarve, quem és tu?” vai ser disponibilizado às crianças do 1.º ciclo do ensino básico do distrito de Faro, apresentando “sugestões de passeios, curiosidades e atividades divertidas para fazer em família em cada um dos concelhos”. (Ag.Lusa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.