• Sáb. Dez 10th, 2022

União Europeia valida os primeiros planos nacionais de recuperação em Lisboa e Madrid

Ursula-von-der-Leyen-
Share This !

Bazuca: os primeiros planos de estímulo (fundos europeus) para os países do sul. A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, está em Lisboa e depois em Madrid para dar luz verde de Bruxelas aos primeiros planos nacionais de recuperação (planos de recuperação e resiliência) financiados por um empréstimo comum sem precedentes para mitigar os danos económicos da pandemia.

“Esta é uma conquista histórica”, disse von der Leyen, anunciando na semana passada no Parlamento Europeu que a Comissão vai começar a aprovar os planos dos Estados-Membros para implementar o pacote de estímulo de 750 bilhões de dólares. Euros negociados com força até sua adoção em julho de 2020.

A escolha de começar pelos dois países ibéricos é simbólica ?

Sem dúvida, Portugal fez uma rápida adopção destes planos nacionais de fundos europeus uma das principais prioridades da sua presidência rotativa do Conselho Europeu, que terá de os validar por recomendação da Comissão.

Portugal com uma dívida recorde e com a corrupção galopante no país e uma justiça que não funciona, o governo socialista de Antonio Costa não hesitou nem um segundo em ser o primeiro país da UE a apresentar o seu próprio plano em abril.

A Espanha é, por seu lado, o segundo beneficiário destes fundos europeus, atrás apenas da Itália. Madrid deve receber cerca de 140 bilhões de euros no total, incluindo 70 bilhões de euros em subsídios diretos e o mesmo na forma de empréstimos.

“Extraordinária generosidade”

“Dois países do sul da Europa, que no passado não se sentiam acompanhados, desta vez contaram com um extraordinário apoio e generosidade de seus parceiros do norte”, comentou à AFP Toni Roldan, diretora do centro de pesquisa de política econômica EsadeEcPol de Madrid.

A Espanha foi um dos países mais afetados pela primeira onda da pandemia Covid-19 na primavera de 2020, enquanto Portugal foi duramente atingido no início do ano. Muito dependentes do turismo, suas economias sofreram enormemente.

Desde a crise da dívida de 2011, Lisboa e Madrid encontram-se frequentemente na linha da frente face aos ataques de países ditos “frugais” que relutavam em financiar os gastos dos países do sul da Europa, segundo eles, menos virtuosos na gestão de suas finanças públicas.

Enquanto persiste uma certa imprecisão sobre as condições vinculadas a esses planos de estímulo, Espanha e Portugal poderiam ter mostrado “maior ambição reformista” para usar esse dinheiro, especialmente no setor de educação, diz Toni Roldan.

“Entendo que seja difícil para a Comissão, neste contexto tão complicado, com o aumento do populismo, todo o sofrimento pós-pandémico, exigir reformas muito profundas, mas ao mesmo tempo é o melhor momento”, considerou.

Transição ecológica

Em Lisboa, a senhora von der Leyen vai reunir com o primeiro-ministro Antonio Costa – cujo Portugal vai receber 16 mil milhões de euros em fundos europeus não reembolsáveis ​​- num centro de exposições científicas.

Em Madrid, o governante alemão será recebido à tarde pelo chefe do governo Pedro Sanchez, outro socialista, na sede da Rede Eléctrica Espanhola, enquanto a maior parte dos investimentos do plano espanhol será dedicada à transição ecológica .

A Presidente da Comissão visitará a Grécia e a Dinamarca na quinta-feira e, em seguida, o Luxemburgo no dia seguinte, continuando uma viagem que a deverá levar a visitar a maioria dos Estados-Membros.

Desde o final de abril, 23 planos nacionais de investimento e reforma foram submetidos à aprovação de Bruxelas, que tem dois meses para decidir a partir da data de apresentação do processo, antes de um parecer final que o Conselho Europeu, em representação dos Estados-Membros, deve emitir Dentro de um mês.

Na terça-feira, outro passo foi dado, com uma primeira emissão de dívida que levantou um quarto dos cerca de € 80 bilhões em títulos de longo prazo que a Comissão planeja emitir até o final do ano para financiar os planos nacionais. (CL & AFP)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Empresários da construção na seca de investimento público
construcao

Em Abril, a produção do sector da construção caiu 21,5%, face a mesmo mês de 2012, com a engenharia civil a cair 22,6%, diz a Associação de Empresas de Construção Read more

Governo não vai conseguir o corte na despesa
joao ferreira amaral

video - Governo não vai conseguir cortar os 4,7 mil milhões de euros na despesa e defende uma saída do Euro para Portugal, sublinhou Ferreira do Amaral O economista João Read more

Eurogrupo admite mais apoios para Portugal
EuroGrupo

O presidente do Eurogrupo admitiu hoje que poderão vir a ser consideradas medidas de apoio complementares a Portugal e Irlanda para ajudar estes dois países a saírem dos programas de Read more

Equador renuncia a acordo aduaneiro com os EUA devido ao caso Snowden
Ricardo Patino

O Equador anunciou, que renuncia ao pacto aduaneiro com os EUA, que lhe valia tarifas preferenciais, denunciando o acordo como uma "instrumento de chantagem" num momento em que o Governo Read more

Troika duvida do plano de cortes na despesa do Estado português
troika em portugal

A Troika deixou ontem Lisboa com dúvidas sobre o plano de cortes na despesa do Estado. Este é o balanço dos trabalhos realizados nos últimos cinco dias na capital portuguesa. Read more

Portugal deve deixar clara determinação em prosseguir o programa de ajustamento
Durão Barroso

Durão Barroso sublinhou, em Vilnius, a importância de Portugal continuar a mostrar a mesma determinação na implementação do programa de ajustamento, advertindo que os mercados reagem com nervosismo a qualquer Read more