• Sáb. Dez 4th, 2021

Por que é que o Comunismo não é tão odiado como o Nazismo ?

historia-comunismo- nazismo

Quando as pessoas descrevem pessoas ou regimes particularmente maus, por que usam o termo “nazista” ou “fascista”, mas raramente “comunista” ? Embora tenham causado tanto sofrimento, por que o termo “comunista” dá muito menos sentido de nojo do que o termo “nazista”?

Os comunistas mataram 70 milhões de pessoas na China, mais de 20 milhões na União Soviética (sem contar 5 milhões de ucranianos) e quase um em cada três cambojanos. E os comunistas abrangem países inteiros na Rússia, Vietnã, China, Europa Oriental, Coréia do Norte, Cuba e grande parte da Ásia Central.

Eles arruinaram a vida de mais de um bilhão de pessoas. Então, por que o comunismo não tem a mesma reputação terrível do nazismo?

Razão número 1: existe, simplesmente, uma ignorância dos atos comunistas. Quando a esquerda e a direita odeiam o nazismo e aprendem sua terrível história, a esquerda – e quero dizer a esquerda, não os liberais da corrente dominante como Harry Truman ou John F. Kennedy – nunca odiou o comunismo. E como a esquerda dominou a academia, quase ninguém aprende a história nojenta do comunismo.

Razão número 2: os nazistas tiveram um holocausto. Nada associa o holocausto com o mal puro. O envio para a morte de quase todos os homens, mulheres, crianças e bebês judeus no continente europeu é sem precedentes e incomparável.

Os comunistas mataram muito mais pessoas do que os nazistas, mas nunca associaram o Holocausto ao sistema de genocídio. O holocausto sendo tão único e a enorme atenção dada a ele ajudaram a garantir que o nazismo recebesse um nome pior que o de comunismo.

Razão número 3: o comunismo é baseado em belas teorias; O nazismo não. É baseado em teorias atrozes. Os intelectuais em geral – incluindo, é claro, aqueles que escrevem a história – são tão apaixonados pelas palavras – tanto que, em sua opinião, as palavras importam mais do que as ações.

É por esta razão que eles não prestaram tanta atenção às ações horríveis dos comunistas quanto às dos nazistas. Eles vêem os ‘maus comunistas’ como uma perversão do ‘comunismo real’. Mas eles veem as atrocidades nazistas como o resultado lógico e inevitável do nazismo.

Razão número 4: os alemães aceitaram totalmente os crimes dos nazistas, assumiram a responsabilidade por eles e tentaram expiá-los. Os russos não fizeram nada semelhante pelas atrocidades de Lenin ou Stalin. Pelo contrário, Lenin, o pai do comunismo soviético, é reverenciado em quase toda a Rússia.

E sobre Stalin, como o historiador russo da Universidade de Londres Donald Rayfield coloca “As pessoas continuam a negar, por afirmação ou implicação, o Holocausto de Stalin”. Menos ainda para a China, que teve o maior assassino em massa e escravizador de todos, Mao Zedong. Mao ainda é reverenciado na China.

Todas as moedas chinesas têm sua cabeça nelas.
Até que Rússia e China – e Vietnã, Cuba e Coréia do Norte – reconheçam os crimes que seu país cometeu sob o comunismo, eles permanecerão menos conhecidos do que os crimes da Alemanha sob Hitler.
(Antonio J.)


(Fonte: prageru.com)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Brasil : 49 milhões de fascistas?
bolsonaro-bresil

Jair Bolsonaro, 63 anos, grande favorito do debate de 28 de outubro contra o candidato de esquerda Fernando Haddad, Bolsonaro disse durante uma conferência de imprensa que "ele não era Read more

O partido “Iniciativa Liberal” deixa PCP entre a foice e a parede
iniciativa-liberal-19-09-2020

Quando algo não está bem, para os comunistas a solução é sempre a mesma: nacionalizar. Quando é preciso melhorar alguma coisa lá vem a cassete: mais Estado! Aliás, não é Read more

Nova Luta de Classes : PCP vs Portugueses Normais
IL-06-05-2020

Iniciativa Liberal : Hoje temos duas classes em Portugal: os Portugueses normais, de um lado, e os Comunistas e o Estado, do outro. Será esta a tal luta de classes Read more

Extrema-Esquerda está a perder a vergonha de assumir o não respeito pela democracia
covid19-25abril2020

Segundo o MSN Noticias, o deputado comunista António Filipe sublinha que "não é nova a ambição da Extrema-direita portuguesa de acabar com as comemorações do 25 de Abril na Assembleia Read more

Show Buttons
Hide Buttons