• Ter. Dez 6th, 2022

A Europa nunca deve esquecer ou ignorar a sua matriz cristã e humanista, diz André Ventura

andre-ventura-21-06-2021
Share This !

O partido Chega anunciou um projeto de resolução que recomenda ao Governo que defina quotas máximas para a imigração proveniente de países islâmicos.

No texto do projeto de resolução (que ainda não tem força de lei), enviado à comunicação social e com data de hoje, o deputado único e presidente do Chega, André Ventura, recomenda ao Governo que crie “instrumentos legais, administrativos e regulamentares para limitar os níveis de imigração islâmica em território nacional”, e estabeleça “quotas máximas de imigração islâmica ou proveniente de países com elevada incidência de fundamentalismo islâmico“.

O Chega quer ainda que o Governo “proponha a adoção, pela União Europeia, de mecanismos comunitários de limitação à imigração islâmica para o espaço Schengen”.

Na exposição de motivos do projeto, o deputado do Chega defende que “a Europa nunca deve esquecer ou ignorar a sua matriz cristã e humanista (…) tendo um dever político e moral de acolher todos os que fogem da guerra, da perseguição ou do terrorismo”.

“O aumento descontrolado da imigração islâmica representa, no entanto, um perigo que não pode ser ignorado nem analisado de ânimo leve”, contrapõe, acrescentando que as experiências na Europa “revelaram riscos e problemas que não são despiciendos, podendo colocar em risco a própria matriz de valores da civilização europeia”.

Em concreto, André Ventura apontou como exemplos países como a França, Bélgica ou Suécia, defendendo que “a descontrolada imigração islâmica” pode afetar alicerces das sociedades “em matéria de igualdade, direitos das mulheres e das crianças, laicidade do Estado ou promoção de violência religiosa”.

“O Governo da República pode, até no rescaldo das situações verificadas no concelho de Odemira, dar um primeiro passo no sentido de evitar que experiências desastrosas de outros estados da UE se repliquem em Portugal. Mais vale agora do que esperar o inevitável”, defende.

Em Odemira, o número elevado de casos de Covid-19 detetados no final de abril entre os imigrantes que trabalham na agricultura denunciaram as condições desumanas em que muitos viviam e estiveram na origem da assinatura de dois protocolos para melhorar as suas condições de habitação. (Ag.Lusa)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Passos Coelho critica a troika
Pedro Passos Coelho

Pedro Passos Coelho insurgiu-se contra a manifestação pública de divergências entre as instituições da troika (FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu). Falando à margem de uma visita à Feira Read more

Falta de condições para pagar subsídios
passos coelho subsidios

O primeiro-ministro disse hoje que os subsídios de férias as trabalhadores da Função Pública não vão ser pagos este mês porque "não há ainda condições para que [esse pagamento] pudesse Read more

Fim do euro seria um erro dramático sublinhou Cavaco Silva
CAVACO SILVA

O Presidente da República, Cavaco Silva, defende numa entrevista ao programa da SIC Notícias "Europa XXI", emitido hoje, confiar "muito na sobrevivência do euro" e considerou que seria "um erro Read more

Durão Barroso não fez nada na Comissão Europeia diz Ministra francesa
Durão Barroso

A Ministra do Comércio Externo francês, Nicole Bricq, considera que José Manuel Durão Barroso "não fez nada durante o mandato", na polémica das últimas semanas entre Paris e o presidente Read more

Paulo Portas apresenta demissão do Governo
Paulo Portas

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, apresentou hoje o seu pedido de demissão ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. A decisão "é irrevogável", adianta o ministro de Read more

Governo de coalizão anuncia acordo para sair da crise
Governo de coalizão

O primeiro-ministro português Pedro Passos Coelho conseguiu, nesta sexta-feira, um acordo com seu sócio de coalizão e ministro das Relações exteriores demissionário, Paulo Portas, cujos detalhes serão revelados mais tarde, Read more