• Sáb. Dez 10th, 2022

André Ventura alerta o PSD dizendo que “não haverá Governo sem o Chega”

andre-ventura-25-01-2021
Share This !

Após ter felicitado Marcelo Rebelo de Sousa pela vitórias nestas eleições, André Ventura colocou o cargo de líder do Chega à disposição dos militantes do partido.

O presidente do Chega, terceiro classificado na corrida presidencial, alertou no domingo o maior partido da oposição de que “não haverá Governo em Portugal sem o Chega”.

André Ventura foi recebido com aplausos pelos cerca de 50 apoiantes e militantes partidários na ampla sala de um hotel lisboeta, falando em penúltimo lugar dos concorrentes a chefe de Estado, imediatamente antes do vencedor do sufrágio, Marcelo Rebelo de Sousa, e escusou-se a responder a perguntas dos jornalistas, num primeiro momento.

“Não há segundas-vias depois desta noite. Hoje ficou claro em Portugal e para a Europa e para o Mundo que não haverá Governo em Portugal sem que o Chega seja parte fundamental. Não há volta a dar. PSD, ouve bem, não haverá governo em Portugal sem o Chega!”

O líder do partido de “Direita” parlamentar felicitara antes a reeleição do Presidente da República, desejando-lhe um “segundo mandato, com dignidade, respeito por Portugal e pelos portugueses de bem e que marque uma rutura face ao seu primeiro mandato”.

Foi uma noite histórica para a Direita em Portugal, que se reconfigurou completamente”, congratulou-se, sublinhando os cerca de meio milhão de votos angariados e a oportunidade aproveitada por esta “força antissistema” para “furar o bloqueio habitual”.

O deputado líder do partido CHEGA parlamentar anunciou também a sua demissão da liderança da recém-formada força política para voltar a dar a palavra aos militantes em relação à continuidade como “homem do leme”, uma vez que falhou o objetivo a que se tinha proposto: ficar em segundo lugar e, idealmente, obrigar à disputa de uma segunda volta eleitoral.

“Fiquei aquém dos 15% que eram um objetivo e, ao que parece, a alguns milhares de votos da candidata que representa o pior da esquerda medíocre em Portugal. Por isso, não vou fugir à minha palavra e vou devolver a palavra aos militantes do Chega, para decidirem se querem manter esta liderança e este projeto”, declarou.

Mas, a esquerda não ficou esquecida não discurso de André Ventura: “Esmagámos a Extrema-Esquerda em Portugal. Esta candidatura teve mais votos do que o PCP de João Ferreira, do que o BE de Marisa Matias e do que a Iniciativa Liberal de Tiago Mayan, todos juntos”, exaltou ainda, recebendo em troca gritos de apoio: “Ventura, Ventura, Ventura”. (Ag.Lusa)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Passos Coelho critica a troika
Pedro Passos Coelho

Pedro Passos Coelho insurgiu-se contra a manifestação pública de divergências entre as instituições da troika (FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu). Falando à margem de uma visita à Feira Read more

Falta de condições para pagar subsídios
passos coelho subsidios

O primeiro-ministro disse hoje que os subsídios de férias as trabalhadores da Função Pública não vão ser pagos este mês porque "não há ainda condições para que [esse pagamento] pudesse Read more

Fim do euro seria um erro dramático sublinhou Cavaco Silva
CAVACO SILVA

O Presidente da República, Cavaco Silva, defende numa entrevista ao programa da SIC Notícias "Europa XXI", emitido hoje, confiar "muito na sobrevivência do euro" e considerou que seria "um erro Read more

Durão Barroso não fez nada na Comissão Europeia diz Ministra francesa
Durão Barroso

A Ministra do Comércio Externo francês, Nicole Bricq, considera que José Manuel Durão Barroso "não fez nada durante o mandato", na polémica das últimas semanas entre Paris e o presidente Read more

Paulo Portas apresenta demissão do Governo
Paulo Portas

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, apresentou hoje o seu pedido de demissão ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. A decisão "é irrevogável", adianta o ministro de Read more

Governo de coalizão anuncia acordo para sair da crise
Governo de coalizão

O primeiro-ministro português Pedro Passos Coelho conseguiu, nesta sexta-feira, um acordo com seu sócio de coalizão e ministro das Relações exteriores demissionário, Paulo Portas, cujos detalhes serão revelados mais tarde, Read more