• Qui. Jul 7th, 2022

Ex-primeiro-Ministro acusa Governo de “incompreensível inação” no Caso SEF

passos-coelho-21-12-2020

Pedro Passos Coelho (ex-primeiro-ministro) acusou o Governo de “incompreensível inação” e “fuga às responsabilidades” no caso do cidadão ucraniano morto nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), no aeroporto de Lisboa.

“Depois de meses de incompreensível inação após os factos serem conhecidos, e com a autoridade do Estado seriamente abalada e a confiança nas instituições públicas beliscada, tudo tem servido para procurar disfarçar o indisfarçável, a superior dificuldade em admitir as falhas graves incorridas ao não se ter atuado prontamente com diligência e sentido de defesa do interesse público”, afirmou.

O ex-governante e ex-líder do PSD discursava no encerramento da conferência “Globalização em português: Revoluções e continuidades africanas”, em Lisboa, no âmbito das comemorações dos 150 anos do nascimento do empresário Alfredo da Silva, fundador do Grupo CUF [Companhia União Fabril].

Nas suas afirmações, divulgadas por vários órgãos de comunicação social, Pedro Passos Coelho apontou ainda uma “incompressível relutância em defender o Estado da fuga às responsabilidades dos seus dirigentes que antes preferem lançar o opróbrio injusto sobre toda a força de segurança em causa, nomeadamente apontando para o seu esvaziamento funcional em vez da simples e pronta assunção de responsabilidades“.

Ihor Homenyuk terá sido vítima das violentas agressões de três inspetores do SEF, acusados de homicídio qualificado, com a alegada cumplicidade ou encobrimento de outros 12 inspetores. O julgamento deste caso terá início em 20 de janeiro.

Nove meses depois do alegado homicídio, a diretora do SEF, Cristina Gatões, demitiu-se na semana passada, após alguns partidos da oposição terem exigido consequências políticas deste caso, tendo Eduardo Cabrita considerado que esta “fez bem em entender dever cessar funções” e que não teria condições para liderar o processo de restruturação do organismo.

Passos Coelho abordou ainda a polémica em torno da reestruturação da TAP, afirmando que o Estado se prepara para injetar numa companhia aérea redimensionada verbas que lhe faltam na saúde, na educação e na economia “sem explicar ao país” que o fará porque “reverteu uma privatização que vários governos procuraram realizar” mas só um conseguiu.

“Esta fatura que o governo se prepara para endossar vai ser suportada por muitos anos, por muitos governos, e demasiados contribuintes a quem o Estado não vê hoje com respeito nem com parcimónia”, acusou Passos Coelho.

Para o antigo primeiro-ministro, o caso da TAP é “emblemático da insustentável leveza da irresponsabilidade pública na condução do interesse coletivo”, considerando que é “um dever de consciência cívica” sublinhar “a gravidade da situação”.

“Agora que a TAP está ameaçada na sua sustentabilidade, em vez de serem os privados, que arriscaram investir na privatização”, a responderem pelos resultados perante a banca e outros credores, são o Estado e os contribuintes “quem têm de assumir os prejuízos que já quase só podem dividir com os funcionários da empresa, que mais parece ter sido renacionalizada”, criticou. (Ag.Lusa)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
TAP : crise na aviação “não deverá melhorar nas próximas semanas”, diz CEO
TAP

TAP reconhece que não "está a oferecer o serviço de excelência" que planeou, depois de um fim de semana com vários cancelamentos. A presidente executiva (CEO) da TAP, Christine Ourmières-Widener, Read more

Partido PSD quer ouvir presidente da TAP no Parlamento com urgência
TAP-06-12-2020

O PSD justificam o pedido de explicações por os apoios à TAP aprovados em 2021 em Bruxelas envolverem "um auxílio do Estado autorizado de 3,2 mil milhões de euros". Os Read more

TAP: Sindicato Nacional avança com ações de impugnação ao despedimento
TAP

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) vai avançar este mês com ações de impugnação ao despedimento, pela TAP, de 14 tripulantes associados, tal como está Read more

Cancelados 327 voos em Lisboa e no Porto devido à greve na Groundforce
tap-capitalizacao

Greve na Groundforce levou já ao cancelamento de 301 voos de e para Lisboa, dos 511 previstos, e 26 de e para o Porto, segundo fonte oficial da ANA. "Devido Read more

Show Buttons
Hide Buttons