• Qui. Dez 1st, 2022

Consultas e cirurgias: dados das listas de espera são desastrosos e envergonham o país

ordem-dos-medicos
Share This !

Miguel Guimarães diz que os dados das listas de espera são “desastrosos” e envergonham o país. A Ordem dos Médicos (OM) classifica como “desastrosos” os dados que apontam para um agravamento do incumprimento dos tempos de espera em consultas e cirurgias, indicando que a situação deve “envergonhar” o país.

A OM desafia ainda o Ministério da Saúde a divulgar a estratégia ou o “plano de ação” para as listas de espera que tem anunciado, “mas que nunca precisou como tenciona executar”.

Num comunicado divulgado, a Ordem comentou os dados da Entidade Reguladora da Saúde publicados na terça-feira e que mostram que as cirurgias que ultrapassaram o tempo de espera clinicamente aceitável duplicaram nos primeiros cinco meses de 2018, quando comparadas com o final de 2017, por exemplo.

“Estes resultados são desastrosos e devem envergonhar-nos enquanto país que ficou conhecido por ter um dos melhores serviços de saúde do mundo. Podíamos dizer que o SNS responde nos casos mais urgentes, como sugeriu a ministra da Saúde. Mas infelizmente já nem isso é totalmente verdade”, escreve o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, na nota.

A OM refere-se nomeadamente a áreas “mais sensíveis, como a oncologia”, em que considera que “os números são desoladoras”, já que quase 20% das cirurgias a doentes com cancro foram feitas além dos tempos de resposta clinicamente aceitáveis, sendo que é nas cirurgias oncológicas “muito prioritárias” que a percentagem de incumprimento dos tempos de resposta é maior.

“Não é mais possível continuarmos a compactuar com uma política de saúde que todos os dias contribui para enfraquecer o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e para colocar doentes e profissionais de saúde em situações de verdadeiro desespero”.

Numa reação aos dados da Entidade Reguladora da Saúde, o Ministério da Saúde garantiu na terça-feira que está em curso um “plano de ação” para melhorar o acesso a cirurgias e consultas nos hospitais, sobretudo para as especialidades com mais doentes à espera e com tempos de espera superiores.

Em resposta à agência Lusa, o Ministério indicou que o plano de ação “pretende que os hospitais tomem medidas concretas que permitam resolver todas as situações em que o tempo médio de espera seja superior a um ano até ao final de 2019”.

“As medidas vão incidir sobre as sete especialidades que, no final de 2018, tinham o maior volume de utentes à espera, os maiores tempos de espera e as maiores percentagens de resposta para além dos tempos máximos de resposta garantidos”, referiu o gabinete da ministra da Saúde numa resposta escrita enviada à Lusa.

O Ministério salientou ainda que os dados de monitorização divulgados pela Entidade Reguladora da Saúde são “parcelares” e que compreendem o período entre janeiro e maio de 2018.

Segundo esses dados, os tempos de espera por cirurgias duplicaram nos primeiros meses do ano passado em comparação com dados de agosto a outubro de 2017. Os hospitais do Serviço Nacional de Saúde apresentaram taxas de incumprimento dos tempos de espera clinicamente aceitáveis de 18,5% nas cirurgias programadas e de 39% nas primeiras consultas de especialidade nos hospitais.

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
O número de desempregados registado em Maio aumentou 9,7%
IEFP

O número de desempregados registado em Maio aumentou 9,7% em termos homólogos, com mais 61.893 inscritos nos centros de emprego, recuando 3,5% face a Abril, segundo a informação mensal do Read more

Milhares de professores em manifestação e promessa de grande greve
manif professores

Estão revoltados e tristes. Contestam medidas concretas que o Governo quer impor, como a mobilidade especial ou o aumento do horário de trabalho. E sentem que a sua profissão está Read more

População residente em Portugal perde 55 mil residentes
População portuguesa

A população residente em Portugal manteve em 2012 a tendência de queda, com menos 55 mil pessoas que no ano anterior, observando-se menos nascimentos, mais mortes e mais emigração, segundo Read more

Relatório das PPP defende que os ex-governantes devem ser responsabilizados
relatorio das ppp

Entre os ex-governantes citados constam os nomes dos ex-ministros Teixeira dos Santos, Mário Lino e António Mendonça e do próprio José Sócrates O relatório final da comissão de inquérito às Read more

A Universidade de Coimbra é considerada património mundial
Coimbra

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura reconheceu, a Universidade de Coimbra, como Património Mundial da Humanidade. Numa nota citada pela Agência Lusa, o Read more

Forte adesão à greve geral no setor privado
Greve 27 06 2013

O setor privado têm aderido em força à greve geral que está a ser realizada hoje, segundo a CGTP. A central sindical revelou hoje em comunicado que os primeiros turnos Read more