• Sex. Abr 23rd, 2021

Coronavirus: Centenas de empresários pedem abertura da economia no Porto

Movimento-Pao-e-Agua

Centenas de pessoas ligadas ao Movimento “A Pão e Água” protestaram em frente à Câmara do Porto para pedir ao Governo a abertura imediata do pequeno comércio de rua, bem como medidas de apoio.

O protesto estava marcado para as 15h30, mas cedo começaram a ser colocadas faixas no muro e nas escadas junto à câmara, quer com o nome do movimento, quer com frases como “Mais panelas e menos tachos” ou “Igualdade empresarial” e “Também somos cultura”.

Em baixo, de frente para a estátua de Almeida Garrett, começaram aos poucos a chegar pessoas de vários setores económicos, com cartazes e t-shirts exibindo frases como “Socorro temos contas para pagar“, “Basta”, “Chega, queremos trabalhar”, “Andam a adiar a nossa morte” ou “SOS cabeleireiros”, entre muitas outras.

Cerca das 15h45 eram já algumas centenas no protesto de um movimento que inicialmente agregava empresários da restauração, comércio, hotelaria e eventos, mas entretanto viu outros setores juntarem-se, como cabeleireiros, comércio de rua e trabalhadores independentes.

Em declarações aos jornalistas, Miguel Camões, um dos representantes do movimento disse que existe “empresas no fio da navalha” e lamentou a falta de apoios.

“Reivindicamos a abertura imediata do pequeno comércio de rua, como cabeleireiros, barbeiros, salões de beleza e livrarias”, acrescentou.

Esperançoso de que o Governo olhe para este “apelo por socorro” e opte por um “desconfinamento com regras mas que não deixe a economia nacional morrer”, Miguel Camões lembrou também que alguns setores, como discotecas e bares, estão encerrados há um ano.

No texto distribuído aos jornalistas, o movimento pede a permissão imediata de venda de bebidas em regime take-away, atribuição de lay-off simplificado a 100% em vez de 80%, com efeitos retroativos desde março de 2020, e a atribuição de linhas de crédito sem juros, pelo recém-criado Banco do Fomento, semelhantes ao mecanismo que o Turismo de Portugal já utiliza para apoiar as tesourarias das empresas em dificuldades, entre outras medidas.

O Movimento a Pão e Água já tinha escolhido este palco antes para se concentrar e reivindicar medidas.

A 13 de novembro, num protesto que juntou cerca de mil empresários, chegaram-se a viver momentos de tensão entre os manifestantes e as forças de segurança.

Esta sexta-feira, o burro Óscar, um animal trazido de Miranda do Douro à manifestação pelo seu proprietário Carlos Valente que diz “já não ter dinheiro para comprar palha”, foi alvo de atenções e “pousou” ao lado de dois bonecos semelhantes aos cabeçudos das romarias, cujas caras em fotografias eram as do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa.

No “palco” improvisado ao longo da tarde estão previstas várias intervenções. Nos intervalos o dj pede aos presentes para manterem a máscara colocada, bem como distanciamento de pelo menos dois metros. (Ag.Lusa)

Facebook Comments
Líder do CDS atribui o maior mérito do crescimento da economia aos empresários
assuncao cristas

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas afirmou em Paredes que o maior mérito do crescimento português deve ser atribuído ao esforço dos empresários, apesar dos "entraves do Governo". "Se hoje Read more

Empresários da construção na seca de investimento público
construcao

Em Abril, a produção do sector da construção caiu 21,5%, face a mesmo mês de 2012, com a engenharia civil a cair 22,6%, diz a Associação de Empresas de Construção Read more

A Comissão Europeia dá dois meses a Portugal para transpor diretiva anti-lavagem de dinheiro
Comissão Europeia

Portugal tem agora dois meses para responder a processo imposto pela Comissão Europeia relativo a transposição incorreta para a legislação nacional das regras europeias contra a lavagem de dinheiro. A Read more

Ordem dos Médicos cria petição a exigir vacinação imediata de todos os médicos
ordem-dos-medicos

A Ordem dos Médicos criou uma petição dirigida ao primeiro-ministro a exigir a "vacinação imediata" de todos os clínicos contra a Covid-19, que tinha recolhido, mais de 9.100 assinaturas. Tendo Read more

Show Buttons
Hide Buttons