• Sáb. Dez 4th, 2021

O Estado português (BDP) anuncia injecção de 4.900 ME no banco BES

Banco Espirito Santo

O Banco de Portugal anunciou hoje um plano de capitalização do Banco Espírito Santo (BES) de 4.900 milhões de euros e a separação dos ativos tóxicos (‘bad bank’) dos restantes que ficam numa nova instituição, o Novo Banco.

O capital é injetado no BES através do Fundo de Resolução bancário. No entanto, como este fundo foi criado há pouco tempo e só tem 380 milhões de euros, a solução encontrada passa por ir buscar o valor restante ao dinheiro da ‘troika’ destinado ao setor financeiro, em que ainda estão disponíveis 6,4 mil milhões de euros.

Assim, estima-se que virá do dinheiro da ‘troika’ entre 4.400 a 4.500 milhões de euros, através de um empréstimo ao fundo de resolução, existindo também uma contribuição extraordinária dos outros bancos que operam em Portugal. Esta ainda está a ser negociada e poderá ascender a cerca de 100 milhões de euros.

O Banco de Portugal analisou os ativos do BES e dividiu-os, colocando os ativos problemáticos no chamado ‘bad bank’ (‘banco mau’), o qual terá uma administração própria para os gerir e não terá licença bancária.

Da lista de ativos tóxicos constam, por exemplo, a participação maioritária no BES Angola.

O Banco de Portugal pretende, com esta medida, minimizar os riscos com o que se passa no BES e no Grupo Espírito Santo, com as perdas a serem assumidas pelos acionistas do BES e os seus credores subordinados. Os acionistas fica com um crédito sobre o ‘bad bank’ que poderão eventualmente recuperar se for realizado dinheiro com os ativos tóxicos.

Já para o chamado ‘banco bom’, que se designará de Novo Banco, é “transferido o essencial da atividade até aqui desenvolvida pelo Banco Espírito Santo”, disse hoje o governador do Banco de Portugal.

Esta nova instituição será presidida por Vítor Bento, que já havia substituído o líder histórico Ricardo Salgado na liderança do BES.

“Não são transferidos para o novo banco ativos problemáticos ou a descontinuar, nomeadamente as responsabilidades de outras entidades do Grupo Espírito Santo que levaram às perdas recentemente divulgadas”, afirmou hoje à noite Carlos Costa.

Para o Novo Banco, que é totalmente detido pelo fundo de resolução, migram todos os trabalhadores, assim como restantes recursos, caso das agências.

O Novo Banco arranca a sua atividade esta segunda-feira, para já ainda com a imagem do BES, com um rácio de capital ‘common equity’ de 8,5%, acima dos 7% exigidos pelo Banco de Portugal.

A 30 de junho, o BES tinha um rácio de capital de apenas 5%, abaixo do mínimo considerado necessário para garantir a solvabilidade de uma instituição financeira.

A administração do Novo Banco tem agora a tarefa de encontrar investidores que queiram entrar no capital da instituição. (Ag.Lusa)


Conecte-se ao Facebook para poder comentar
BBC elegeu Ricardo Salgado como pior gestor do mundo
Ricardo Salgado

"Líder de um interligado e complexo conjunto de entidades, controlava o segundo maior banco de Portugal (Banco Espirito Santo) e levou-o à falência", escreve a BBC no artigo dedicado aos Read more

Partido Chega propõe comissão parlamentar de inquérito sobre Novo Banco
chega-andre_ventura

O deputado do Chega, André Ventura, propôs uma comissão parlamentar de inquérito ao alegado financiamento de campanhas eleitorais por parte do BES, e quer agora alargar o âmbito aos negócios Read more

BES: Ministério Público arquiva queixas contra os “Gestores de bancos”
bes-novo-banco

Portugal do avesso: O Ministério Público (MP) arquivou as queixas contra os gestores de conta do antigo Banco Espírito Santo (BES), que venderam papel comercial de sociedades insolventes do grupo, Read more

Defesa de Ricardo Salgado acusa Banco de Portugal de ser “desleal e desonesto”
bes-ricardo-salgado

A defesa de Ricardo Salgado na contestação à coima aplicada pelo supervisor por violação de normas de prevenção de branqueamento de capitais acusou o Banco de Portugal de ter sido Read more

Show Buttons
Hide Buttons