• Ter. Jul 5th, 2022

O pedido de libertação imediata de José Sócrates foi Rejeitado

José Socrates

O Supremo Tribunal de Justiça indeferiu hoje um pedido de libertação imediata de José Sócrates, alegando “manifesta falta de fundamento legal”. Na fundamentação para recusar a libertação imediata do ex-primeiro-ministro, o Supremo Tribunal de Justiça nota que a divulgação pública da gravidade dos indícios e dos fundamentos da prisão não constitui um imperativo legal, além da prestação dos esclarecimentos públicos pela autoridade judiciária, para a prossecução e salvaguarda de interesses e valores relevantes para a sociedade.

No pedido de ‘habeas corpus’, Miguel Mota Cardoso considerava que pelo facto de Sócrates ser uma figura pública, os portugueses deviam ser informados sobre os fundamentos para a prisão preventiva.

Hoje o STJ revelou que a prisão preventiva decretada pelo juiz de instrução foi justificada pelo perigo de fuga ee perturbação de recolha e da conservações da prova.

No acórdão, é salientado que “a não divulgação da gravidade dos indícios e dos fundamentos da prisão não significa que o peso dos indícios e os fundamentos da detenção e prisão preventiva, por se verificarem os seus pressupostos, não se mostrem presentes no processo”.

Online Website Builder

O STJ lembra que José Sócrates foi detido por mandado de detenção emitido por magistrado judicial e que, presente a primeiro interrogatório judicial, veio a ser indiciado por fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais, não sendo incluido o crime de tráfico de influências.

“Qualquer destes crimes admite… a medida de coação de prisão preventiva”, lê-se na decisão.

Pelo disposto, o STJ diz não vislumbrar qualquer abuso de poder ou “erro grosseiro” na aplicação da lei ou “manifesta e evidente violação da lei que inquinasse de ilegalidade a prisão imposta a José Sócrates”.

“Torna-se manifesto que a prisão preventiva imposta a José Sócrates não se evidencia como um atentado ilegítimo à sua liberdade individual, qualificado de grave, anómalo, grosseiro e imediatamente verificável, que ofenda aquela de ilegalidade por violação direta, patente, ostensiva e grosseira dos pressupostos e das condições da sua aplicação”, refere o acórdão. (Ag.Lusa)


Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Emigrantes: Anulação de votos pode levar a desmobilização do eleitorado
eleicoes-votos

O especialista em migrações Jorge Malheiros alertou que a anulação de milhares de votos dos emigrantes pode provocar um efeito "de pêndulo" e, depois do aumento da participação em 30 Read more

Corrupção: Comarca de Lisboa regista 165 casos de branqueamento de capitais em 2021
Corrupcao-comarca-Lisboa

O número de inquéritos-crime registados em 2021 pelo Ministério Público da Comarca de Lisboa por branqueamento de capitais foi de 165 e no tocante a crimes de corrupção e afins Read more

Portugal : Assembleia da República aprova legalização da eutanásia
eutanasia

A Assembleia da República aprovou (novamente), esta sexta-feira, a legalização da eutanásia - com 138 votos a favor, 84 contra e cinco abstenções. A decisão segue agora para o Palácio Read more

André Ventura promete “olho por olho, dente por dente” contra perseguições
andre-ventura-17-01-2021

O presidente do Chega, prometeu uma luta "olho por olho e dente por dente" contra aqueles que o atacarem, o perseguirem ou humilharem, sublinhando que "o tempo de brincarem" com Read more

Show Buttons
Hide Buttons