• Qua. Out 21st, 2020

Operação Lex: a lista dos 17 arguidos e dos crimes que são acusados

Operação Lex: Atividade desenvolvida por três juízes desembargadores, o presidente do Benfica, um empresário de futebol e um advogado entre os 17 acusados de crimes económico-financeiros no processo Operação Lex.

A investigação centrou-se na atividade desenvolvida por três juízes desembargadores do Tribunal da Relação de Lisboa – Rui Rangel, Fátima Galante e Luis Vaz das Neves – que, segundo a acusação, utilizaram as suas funções para obterem vantagens indevidas, para si ou para terceiros, que dissimularam.

Segundo a nota da PGR, emitida esta sexta-feira (18 de setembro), para que seja garantido o pagamento das vantagens obtidas pelos acusados, num montante superior a 1,5 milhões de euros, foi requerido o arresto do seu património.

O Ministério Público formulou ainda um pedido indemnização civil a favor do Estado, para a condenação solidária de três dos arguidos, de 393.466 euros e de outros dois arguidos no pagamento do valor de mais de 81.089 euros.

Online Website Builder

Estes montantes, acrescenta a nota, correspondem ao prejuízo causado ao erário público pela falta da declaração de IRS de rendimentos auferidos entre 2012 a 2017.

O inquérito teve início no Supremo Tribunal de Justiça em setembro de 2016 e a investigação centrou-se na atividade desenvolvida por três juízes desembargadores do TRL, incluindo Rui Rangel, Fátima Galante.
Durante a investigação foram cumpridos cinco mandados de busca em empresas, 26 mandados de busca em veículos, 18 buscas domiciliárias, três buscas em escritórios de advogados e uma busca no TRL e posteriormente houve mais quatro buscas.

Foram ainda inquiridas 89 testemunhas, realizadas perícias informáticas, contabilísticas, financeiras e patrimoniais a um universo alargado de indivíduos e de empresas também por um extenso período temporal.

De referir que enquanto decorria a investigação, o conselho Superior da Magistratura decidiu expulsar Rui Rangel da magistratura e colocar Fátima Galante em aposentação compulsiva, penas que ainda não transitaram em julgado. Já Vaz das Neves jubilou-se em 2016 e foi substituído por Orlando Nascimento, que também já abandonou o cargo.

O Ministério Público requer que, caso Rui Rangel e Fátima Galante sejam condenados em julgamento, estes sejam também condenados a uma pena acessória de proibição do exercício da magistratura por cinco anos.

No âmbito do processo operação Lex, o Ministério Público decidiu extrair várias certidões “para serem investigados factos conexos com os arguidos neste processo e factos autónomos” e determinou o arquivamento, por insuficiência de indícios, relativamente ao ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, João Rodrigues.

Os 17 arguidos acusados e os crimes que lhes são imputados são os seguintes:

Rui Rangel, juiz: corrupção passiva para ato ilícito, abuso de poder, recebimento indevido de vantagem, usurpação de funções, fraude fiscal e falsificação de documento.
Fátima Galante, juíza: corrupção passiva para ato ilícito, abuso de poder, fraude fiscal e branqueamento de capitais.
Luís Vaz das Neves, ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa: corrupção passiva para ato ilícito e abuso de poder.
Luis Filipe Vieira, presidente do Benfica: recebimento indevido de vantagem.
José Veiga, empresário: corrupção ativa para ato ilícito.
Octávio Correia, oficial de Justiça: corrupção passiva para ato ilícito, abuso de poder e fraude fiscal.
Elsa Correia, mulher de Octávio Correia: fraude fiscal.
Ruy Carrera Moura, empresário: corrupção ativa para ato ilícito.
Fernando Tavares, gestor e ex-vice-presidente do SLB: recebimento indevido de vantagem.
José Santos Martins, advogado: corrupção passiva para ato ilícito, corrupção ativa para ato ilícito, abuso de poder, falsificação de documentos, fraude fiscal, branqueamento de capitais.
Bernardo Santos Martins, filho do advogado: fraude fiscal, branqueamento de capitais
Nuno Costa Ferreira: fraude fiscal.
Rita Figueira, ex-namorada de Rui Rangel: fraude fiscal
Albertino Vieira Figueira, pai de Rita Figueira: fraude fiscal.
Bruna do Amaral, ex-namorada de Rui Rangel: abuso de poder, fraude fiscal.
Óscar Juan Hernández: falsificação de documentos.

Sem comentar, Presidente diz-se “feliz” por “assistir a passos da Justiça”

O Presidente da República não comentou o caso em particular, mas considerou que estes são avanços de grande importância para a Justiça portuguesa.

“Fico feliz de ter sido possível durante o meu mandato assistir, seja qual foi o veredicto final, a passos da Justiça portuguesa, em inúmeros casos relevantes em termos da preocupação da opinião publica ou de reflexos sociais. Foi assim na Operação Marquês, no caso BES, em Tancos, e está agora a ser no caso da Operação Lex”, declarou o Presidente Marcelo, esta sexta-feira, à margem de uma visita a uma escola em Olhão, no Algarve.

ASJP admite que acusação contra juízes prejudica confiança

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) admite que se forem provados os factos da acusação do processo Operação Lex contra juízes e ex-juízes, estes são de “gravidade extrema e prejudiciais para a confiança dos cidadãos na integridade dos juízes e na imparcialidade dos tribunais”.

Em comunicado a propósito da acusação do Ministério Público (MP) contra juízes e ex-juízes por “crimes graves alegadamente praticados no exercício de funções judiciais”, a ASJP propõe várias medidas preventivas para evitar tais ocorrências, notando contudo que os arguidos beneficiam da presunção de inocência e de todas as garantias de defesa previstas em processo penal, sublinhando que os tribunais cumprirão a missão de apreciar os factos com “independência e imparcialidade”, aplicando leis que “valem para todos por igual”. (Ag.Lusa)

Custa ver a facilidade com que se dá milhões ao Novo Banco e não há trocos para os lares

O economista António Bagão Félix diz que "Governo não chegará até ao fim" e critica todo o processo relativo ao Novo Banco e admite que lhe custa ver como há Read more

Partido PSD quer alterar regras de distribuição eletrónica de processos a juízes

O PSD considera "prioritária a reforma da justiça" e vai entregar um projeto de lei no parlamento para introduzir mecanismos de controlo de distribuição eletrónica dos processos judiciais, anunciou o Read more

O Partido Chega apresenta revisão constitucional para livrar Estado de “clientelas”

André Ventura do partido Chega, anunciou que o partido vai retomar a sua "proposta completa de revisão constitucional" para "finalmente refundar o Estado", "mais livre de impérios políticos" e de Read more

Novo Banco: BE quer administradores, acionistas e auditores responsabilizados pessoalmente

O partido BE defendeu que os acionistas, auditores bancários e administradores "devem ser pessoalmente responsabilizados por parte das perdas" em função dos ganhos, quando uma instituição bancária como o Novo Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Show Buttons
Hide Buttons