• Seg. Mar 1st, 2021

Ordem dos Médicos cria petição a exigir vacinação imediata de todos os médicos

ordem-dos-medicos

A Ordem dos Médicos criou uma petição dirigida ao primeiro-ministro a exigir a “vacinação imediata” de todos os clínicos contra a Covid-19, que tinha recolhido, mais de 9.100 assinaturas.

Tendo o bastonário Miguel Guimarães como primeiro subscritor, a petição criada no início da semana e disponível no `site´ peticaopublica.com refere que “faltam ser vacinados a maioria” dos médicos que trabalham no Serviço Nacional de Saúde e a “imensa maioria” dos que prestam serviço nos setores privado e social.

“Sendo as vacinas contra a covid-19 um bem escasso exclusivo do Estado, não podemos deixar de transmitir a nossa indignação pelo facto de muitos milhares de médicos ainda não terem sido vacinados, estando a ser excluídos no Plano de Vacinação”, sublinha o texto.

Segundo a petição, não vacinar os clínicos representa “limitar o acesso dos doentes a procedimentos diagnósticos e terapêuticos, como consultas, exames ou cirurgias”, uma vez que, “por cada médico que fica doente ou em isolamento profilático, muitos doentes (covid e não covid) ficam com a sua saúde cada vez mais comprometida”.

“Vacinar todos os médicos, de acordo com as prioridades definidas a nível nacional e internacional, é uma questão de ética e de justiça. Preservar a saúde de quem tem o dever e a competência de estar na linha da frente a salvar vidas é defender o interesse público e a saúde do país”, adianta ainda o texto.

A vacinação contra o novo coronavírus arrancou a 27 de dezembro, abrangendo primeiro profissionais de saúde diretamente envolvidos na resposta à pandemia, seguindo-se os profissionais e residentes em lares de idosos e unidades de cuidados continuados.

A primeira fase do plano de vacinação inclui também profissionais das Forças Armadas, forças de segurança e serviços considerados críticos, titulares de órgãos de soberania, idosos com 80 ou mais anos e pessoas 50 ou mais anos e com doenças associadas.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro alertou que Portugal vai receber menos de metade das vacinas contra a covid-19 que estavam previstas para o primeiro trimestre deste ano, um problema não está na distribuição nem na falta de recursos humanos para administrar a vacina, mas sim “fora de Portugal”.

“No nosso caso, em vez dos 4,4 milhões de doses, nós vamos receber neste primeiro trimestre 1,98 milhões de doses, o que significa que a nossa capacidade de vacinação neste primeiro trimestre vai ser cerca de metade daquilo que estava previsto nos contratos assinados entre as farmacêuticas e a Comissão Europeia”, disse António Costa.

Em Portugal, morreram 14.885 pessoas dos 778.369 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Facebook Comments
Pandemia ameaça vacinação de dezenas de millhões contra sarampo e outras doenças
vacina-cancro

A pandemia da covid-19 está a ameaçar as vidas de dezenas de milhões de crianças por causa da interrupção de campanhas de vacinação contra doenças como a poliomielite ou o Read more

Consultas e cirurgias: dados das listas de espera são desastrosos e envergonham o país
ordem-dos-medicos

Miguel Guimarães diz que os dados das listas de espera são "desastrosos" e envergonham o país. A Ordem dos Médicos (OM) classifica como "desastrosos" os dados que apontam para um Read more

Médicos alertam : doentes prejudicados com mais burocracia na emissão de receitas
medico

A Ordem dos Médicos avisa que está a agravar-se a "burocracia informática" que envolve a emissão de receitas médicas sem papel, considerando que está a ser prejudicado o tempo de Read more

Antonio Costa se revelou “tal como é” quando chamou cobardes aos médicos, diz Ventura
chega-medicos

O presidente do partido CHEGA disse que António Costa “não sabe ser primeiro-ministro” e que se revelou “tal como é” quando alegadamente chamou “cobardes” aos médicos envolvidos no surto de Read more

Show Buttons
Hide Buttons