• Sáb. Nov 27th, 2021

ONG acusa China de ocultar informação à OMS na recente missão a Wuhan

human_rights_watch

Covid-19: HRW acusa a China de ter ocultado informação à missão da OMS que se dirigiu a Wuhan. “A China claramente quer evitar ser acusada de ser o lugar onde começou a pandemia”, diz o diretor da ONG.

A China ocultou informação sobre os primeiros casos de Covid-19 há um ano, o que favoreceu os contágios, e fê-lo novamente na recente missão da Organização Mundial de Saúde (OMS) a Wuhan, denunciou a Human Rights Watch (HRW).

“A China claramente quer evitar ser acusada de ser o lugar onde começou a pandemia”, disse o diretor executivo da organização de defesa dos direitos humanos, Kenneth Roth, numa conferência de imprensa organizada pela Associação de Correspondentes das Nações Unidas (ACANU).

Segundo Roth, durante a missão dos especialistas da OMS a Wuhan, que terminou na semana passada, Pequim “recusou partilhar informação anónima sobre os primeiros casos”, quando apenas metade dos 174 identificados inicialmente estavam relacionados com o famoso mercado Huanan, em Wuhan, o que indicia encobrimento.

Do mesmo modo, “houve em Wuhan 92 doentes hospitalizados com sintomas semelhantes aos da Covid em outubro e novembro de 2019, mas a China só deu à OMS testes de anticorpos muito posteriores, sem radiografias ou análises de sangue, exames que teriam mostrado que o surto estava presente um ou dois meses antes do admitido”, disse, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

Além disso, “Pequim continua a promover a teoria maluca de que a Covid-19 pode ter sido causada pelo contacto com alimentos congelados, apesar de não haver provas de alguém em qualquer parte do mundo ter sido infetado desse modo”, sublinhou o responsável máximo da HRW.

Roth também criticou a missão de especialistas da OMS e outras organizações associadas por “darem crédito àquela teoria dizendo que a estão a investigar”, adiantando que significa “dar uma injeção de propaganda a Pequim”, numa altura em que o foco deveria ser “o que está a esconder”.

O ativista disse ainda que a missão não integrava “elementos de destaque da OMS”, salientando que a “supressão de informação é má para a saúde pública” porque “saber o que aconteceu é fundamental para evitar uma próxima pandemia Covid-22 ou Covid-23”.

O responsável da HRW admitiu não haver provas de que o SARS-CoV-2 tenha sido criado em laboratório, mas sublinhou que a opacidade chinesa ajuda a alimentar este tipo de suspeitas.

“Quanto mais a China esconde, mais credibilidade dá a essas teorias, porque as pessoas questionam-se sobre o que esconde… embora possa significar apenas que quer evitar ser apontada como o lugar onde começou outra doença infecciona, como aconteceu há quase 20 anos com o SARS”, frisou Roth.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.430.693 mortos no mundo, resultantes de mais de 109,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China. (Ag.Lusa)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Saúde: Coronavírus pode provocar danos no pénis e disfunção erétil
coronavirus-disfuncao-eretil

Um estudo realizado pela Universidade de Miami detetou vestígios do novo coronavírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, no tecido do pénis de doentes que padeceram da patologia. E, futuramente, experienciaram problemas Read more

Comité de peritos da OMS discute sobre vacina da AstraZeneca
vaccin-AstraZeneca

Tedros Adhanom Ghebreyesu da OMS, referiu que, apesar de não haver uma ligação entre a vacina e os casos reportados, "constitui boa prática investigá-los". EMA já defendeu a segurança da Read more

Comissão Europeia: Há que trabalhar rápido se queremos um certificado de vacinação até ao verão
Von_der_Leyen

Covid-19: "Von der Leyen diz que os Estados-Membros da União Europeia vão ter de trabalhar rapidamente para afinar os seus sistemas de saúde e fronteiras se quiserem ter um certificado Read more

Pfizer e BioNTech fornecem 200 milhões de doses adicionais à UE
Vacina-Pfizer-09-11-2020

Vacinas: "o número total de doses a serem entregues aos estados membros da UE até o final de 2021 é agora de 500 milhões". Informação foi revelada hoje em comunicado. Read more

Show Buttons
Hide Buttons