• Seg. Fev 26th, 2024

Saúde : sintomas de longa duração são raros nas Crianças, diz The Lancet

Share This !

Covid-19: a maioria das crianças que contrai covid recupera em menos de uma semana e apenas algumas ainda têm alguns dos sintomas mais comuns após um mês, segundo um estudo publicado no The Lancet.

A investigação, liderada por peritos do King’s College London (UK), analisou 1.734 pacientes sintomáticos com idades entre os 5 e 17 anos, com base em dados recolhidos numa aplicação móvel por pais e prestadores de cuidados envolvidos no projeto “ZOE COVID”.

A principal conclusão é que os casos com sintomas duradouros são “raros”, diz uma das autoras do estudo, Emma Duncan, professora do King’s College, numa declaração.

“É reconfortante saber que o número de crianças que experimentam sintomas de covid-19 de longa duração é baixo. No entanto, um pequeno número de crianças sofre de doenças prolongadas”, apontou.

Especificamente, dos 1.734 positivos relatados na aplicação móvel, apenas 77 (4,4%) ainda tinham pelo menos dois dos três sintomas mais comuns (fadiga, dor de cabeça e perda de cheiro/ gosto) após quatro semanas.

Além disso, o estudo concluiu que após oito semanas, praticamente todos (98,2%) dos que apresentavam sintomas tinham recuperado.

A fadiga, os investigadores notam, foi o sintoma mais prevalente neste grupo (84%), enquanto 77,9% também sentiu dor de cabeça e perda de cheiro/ sabor, respetivamente, em alguma fase da doença.

A este respeito, os peritos indicam que a dor de cabeça é o sintoma mais comum no início da doença, enquanto a perda de cheiro/ gosto aparece mais tarde e permanece por um período de tempo mais longo.

O estudo encontrou diferenças na duração média da doença entre crianças do ensino primário (5-11 anos de idade) e do ensino secundário (12-17 anos de idade): nas crianças mais velhas, a covid-19 durou em média sete dias, em comparação com cinco dias nas crianças mais novas.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.234.618 mortos em todo o mundo, entre mais de 198,8 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru. (Ag.Lusa)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Estudo indica que obesidade abdominal provoca disfunção eréctil

Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), mostra que o índice de gordura acumulada na zona abdominal “pode servir de indicador de disfunção eréctil”, recente Read more

Café pode reduzir até 25% o risco de diabetes

Um consumo regular de café contribui para estimular o metabolismo e equilibrar os níveis de glucose, o que diminui até 25 por cento o risco de desenvolvimento de diabetes tipo Read more

PS quer explicações do ministro da Saúde sobre emergência médica

O PS anunciou que formalizará, na Assembleia da República, a entrega de um requerimento para que o ministro da Saúde seja ouvido no parlamento sobre urgência e emergência médica, considerando Read more

Weedmaps é o Google Maps da marijuana e já chegou à Europa

Em meia hora de caminhada pelo paredão de Venice Beach encontra-se pelo menos meia dúzia de lojas que vendem marijuana e ensinam a consumir. Nestes Green Doctors é possível encontrar Read more

Esperança média de vida dos portugueses volta a aumentar

A esperança de vida à nascença fixou-se nos 80 anos. Já a população com 65 anos viveu ainda mais 18,97 anos, divulgou o Instituto Nacional de Estatística, segundo os números Read more

Os médicos aderiram à greve greve em todo o país

Cerca de metade dos médicos terão aderido à greve em todo o país, calcula a Federação Nacional dos Médicos, apesar de haver locais do País com percentagens de adesão superiores. Read more

Show Buttons
Hide Buttons