Weedmaps é o Google Maps da marijuana e já chegou à Europa

Em meia hora de caminhada pelo paredão de Venice Beach encontra-se pelo menos meia dúzia de lojas que vendem marijuana e ensinam a consumir. Nestes Green Doctors é possível encontrar crianças. Sim, é tudo legal.

A Califórnia é um dos Estados norte-americanos que legalizaram a utilização de variantes da planta canábis para fins medicinais, mediante um cartão de autorização do médico. E há uma tecnológica a lucrar milhões com isto: a Weedmaps, um Google Maps que abrange 95% dos dispensários de marijuana do mundo.

A ideia do site começou em 2007, quando Justin Hartfield recebeu o seu cartão de uso médico de marijuana para tratar insónias severas e dores nas costas.

Quando procurou informação online encontrou apenas um fórum antiquado. O que ele queria era um diretório online dos dispensários para saber se tinham o que ele precisava. Como não havia, criou um.

“Fui de porta em porta, literalmente, durante doze meses, desde Oakland até San Diego”, conta ao Dinheiro Vivo o CEO da empresa, à margem da conferência de startups Collision, que decorreu esta semana em Las Vegas.

Justin visitou 800 dispensários e convenceu boa parte deles a entrarem no diretório e a partilharem o seu menu online, para que os utilizadores possam saber o que há disponível antes de se meterem no carro e conduzirem até lá.

“Tive de mudar o meu número de telemóvel depois disso”, brinca Hartfield, que foi convidado para falar num painel da Collision.

“Fiquei muito surpreendido. Aos olhos de muita gente, ainda é algo ilegítimo. Ainda há um elemento criminal associado”, reconhece. “Ser convidado foi inesperado, e penso que mostra que o mundo está a mudar.”

É capaz de estar mesmo. Os Estados do Alasca, Oregon e Florida deverão legalizar o uso medicinal da marijuana ainda este ano, e no Colorado foi descoberta uma nova forma de usar canábis para tratar crianças com cancro.

“Crianças que fazem quimioterapia e não podem ir à escola porque estão sempre com náuseas e cansadas usam CBD [cannabidiol], parte da planta que não deixa as pessoas pedradas, para terem uma vida normal”, adianta Hartfield.

“Há muitas famílias com filhos doentes que se estão a mudar para o Colorado, porque ali é legal.” Este ano, o Colorado vai encaixar 134 milhões de dólares com impostos diretos sobre este mercado. E Todd Harrison, CEO do site financeiro MInyanville, já disse que a canábis “será a melhor ideia de investimento dos próximos dez anos.” (mais no dinheirovivo)


Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.