• Sáb. Dez 10th, 2022

As alterações climáticas são uma ameaça para a produção de vinho

producao-de-vinho
Share This !

Cientistas alertam que as alterações climáticas ameaçam produção de vinho, que pode cair para metade com um aumento de dois graus celsius da temperatura global, indica um estudo.

O estudo, produzido por uma equipa internacional de investigadores e divulgado pela Universidade de Columbia, precisa que com um aumento de dois graus as regiões do mundo adequadas para o cultivo da vinha regridem em 56%, mas com um aumento de quatro graus serão 85% dessas terras a tornar-se incapazes de produzir bons vinhos.

No entanto, o estudo, publicado na revista científica “Procedimentos da Academia Nacional de Ciências” (publicação oficial da Academia de Ciências dos Estados Unidos), indica que se as vinhas forem reorganizadas, com castas mais resistentes ao calor, as perdas potenciais podem reduzir-se a metade da previsão com um aumento de dois graus.

Os cientistas admitem que a diversidade é essencial para tornar a agricultura mais resistente às alterações climáticas e as uvas para produção de vinho são um exemplo, com mais de 1.100 variedades plantadas, documentadas há muito. E essas uvas também são muito sensíveis às mudanças de temperatura.

“De certa forma o vinho é como o canário na mina de carvão, devido aos impactos das alterações climáticas na agricultura, porque as suas uvas são muito sensíveis ao clima”, disse Benjamin Cook, da Universidade de Columbia, um dos autores do estudo.

Os investigadores estudaram 11 variedades de uva para vinho, combinando arquivos para fazer modelos sobre quando cada uma iria brotar, florescer e amadurecer sob três cenários de temperatura: um de zero graus de aumento, outro de aumento de dois graus e outro de aumento de quatro graus.

Nos dois cenários de aquecimento as perdas eram inevitáveis e a qualidade do vinho seria afetada. Mas os investigadores descobriram que mudar as variedades da vinha podia reduzir essas perdas.

Com dois graus de aquecimento global e sem qualquer tentativa de adaptação 56% das áreas vinícolas do mundo podem perder-se. Mas se os produtores mudarem para variedades mais adequadas às alterações climáticas as perdas descem para 24%.

Na região de Borgonha (França), por exemplo, a mourvedre e a grenache, que gostam do calor, podem substituir as atuais variedades, como o pinot noir. Em Bordéus, cabernet sauvinon e merlot podem ser substituídos por mouvedre.

Os cientistas dizem que as regiões vinícolas mais frias, como na Alemanha, Nova Zelândia e noroeste da costa do Pacífico dos Estados Unidos, sairiam relativamente incólumes num cenário de aumento de dois graus centigrados. (Ag.Lusa)

Conecte-se ao Facebook para poder comentar
Facebook revela detalhes sobre os dados que cedeu aos EUA USA
Facebook-news

(Atualização 25-03-2020) A rede social Facebook revelou que no último semestre de 2012 recebeu entre 9.000 e 10.000 pedidos de informação privada por parte das autoridades norte-americanas, incluindo da polícia Read more

Google envia para o espaço balões Internet
Google e os baloes internet

video - A Google revelou, este sábado, o seu plano secreto de enviar balões para o espaço, com o objetivo ambicioso de levar Internet aos dois terços da população mundial Read more

China tem o supercomputador mais rápido do mundo
supercomputador

Engenheiros militares chineses anunciaram, esta segunda-feira, terem conseguido desenvolver um supercomputador capaz de calcular 33.860 biliões de operações por segundo, voltando a China a ter o computador mais rápido do Read more

Equipa de cientistas criam primeiro modelo em 3D do cérebro humano
cerebro humano

video - Uma equipa de cientistas alemães e canadianos divulgou, o primeiro modelo em três dimensões (3D) do cérebro humano com uma resolução microscópica, 50 vezes mais detalhada do que Read more

Ciberataques aos telemóveis aumentaram 600 % em um ano
telemovéis

video - Os utilizadores de smartphones não estão imunes aos ataques dos piratas informáticos, que multiplicaram os seus ataques aos telemóveis, usando como arma desde a simples fraude comercial à Read more

Investigadores portugueses premiados por estudos sobre a dor

Duas equipas de investigadores das universidades do Minho e do Porto foram contempladas com o Prémio Grünenthal Dor 2012, recebendo cada qual o valor de 7.500 euros, anunciou esta segunda-feira Read more